quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Lista de coisas.

    O ano já começou, alguns dias já se passaram e eu ainda não tive a pachorra de fazer uma lista de coisas para se fazer. Lista na maioria das vezes, inútil. Mas que a gente faz todo ano, mesmo sabendo que é uma furada, mais ou menos como quando a gente entra em 'amigo' secreto sabendo que todo ano sempre é AQUELA beleza. Mas esse ano meu 'amigo secreto' foi o melhor, sério, ganhei um livro do Ezra Pound, E Z R A   P O U N D, nunca ouviu falar? Bom, o cara simplesmente foi um gênio, um gênio! Quantos gênios você já encontrou por aí? Bem, eu também não encontrei muitos, assim gêêênio gênio, só nos livros, mas já está ótimo. Bem, voltando ao assunto mais propriamente, ter entrado no amigo secreto e ter sido uma surpresa tão gratificante, me fez fazer uma lista também, vai que vira uma surpresa boa.
    Bom, o finalzinho do ano foi interassante com um monte de coisas interessantes acontecendo, e não saberia narrá-las aqui, porque não foram fatos, foram mais sensações. Mas elas me deram a sensação - outra - de que alguma coisa tem que ser feita, quero dizer, sempre temos que 'estar a fazer' coisas. Decidi que será um ano de mudanças, sim, quero enfiar o pé na jaca e em outras frutas também (mais cheirosas, porque jaca, jaca não cheira - exala).
    Eu pretendia colocar os tópicos do que quero fazer, mas serei sucinta (que era um tópico que eu ia colocar: aprender a ser sucinta) e resumirei tudo na seguinte frase: Tomar as rédeas da minha vida.
    E pensar em rédeas é uma coisa muito legal, porque evoca todo uma coisa de controle, domínio, e daí uma coisa leva a outra, e você se lembra de cavalos, que são controlados por rédeas. E é uma boa figura para se usar. Os cavalos são animais selvagens, foram criados para viverem livres, à solta. Mas nós os adestramos para que eles sejam úteis (tá, você que pensa no direito dos animais, agora não é hora, tá bem? Senão não consigo fazer a comparação, ok? Ótimo. Continuando...) então é preciso que ele seja amansado, que saiba reconhecer o freio e o momento de parar. Ele somente selvagem não tem todo seu potencial explorado, é preciso que ele seja veloz na hora de correr, mas também saiba reconher o sinal de que é hora de parar. É preciso correr com as rédeas soltas, mas há momentos que será puxado pelo cabresto.
    Mas seja como for, quando você vê um cavalo, e vê sua força, você sabe que ele nunca será 'domesticado', que é da sua natureza ser selvagem, e é bom que seja assim.
    E esse ano quero que seja sim, que eu saiba controlar minha vida, não fique passiva assistindo, que eu corra e corra, que nunca fique parada, mas que saiba o momento de puxar o freio, de dizer: opa, com mais calma.
    Que eu saiba acima de tudo que não dá para manter o controle absoluto, que a vida não se deixa domar, que ela tem a natureza do Acaso, e que não dá para colocar nenhum tipo de cabresto nele.
    Enfim, saber que posso e sou responsável por minhas decisões, que são as responsáveis pelas mudanças, mas que não dá para ter 100% de certeza do resultado.
    Ufa! Que bom que é assim, né
                            Feliz Ano Novo! (Seis dias depois ainda é ano novo, não é?)
Daiany Maia

Obs.: Um dos tópicos era: usar corretamente o ponto final. Não sei se encaixa bem no 'tomar as rédeas da minha vida', porque eu sou apaixonada mesmo é pela vírgula, então o ponto final meio que está fora da minha vida, o destinei ao famigerado: Obs.

10 comentários:

Jessica disse...

Esse é um ótimo objetivo para o ano. Até eu, que nunca fiz uma listinha, já estou pensando em fazer uma pra mim também!

beijos!

Maya disse...

Jéssica,

Então faça! Mas não se esqueça de colocar: deixar as rédeas soltas...

As vezes você puxa o freio demais!

;)

Samuel disse...

Fazer uma lista??? Pra que??? Acho que é melhor utilizar a mesma do ano passado, lá tem vários itens sem um vistinho indicando que foram terminados. Pensando já na pontuação ao invés do ponto final sempre prefiro as reticências, são menos bruscas, rsrs. Enfim acho que é melhor da uma repassada na listinha e incluir algumas coisas para definir as rédeas desse ano...

Maya disse...

Samuel,

Sempre fica algum 'rabinho' pra trás, né?

Isso aí, terminar coisas e inserir outras!

;)
beijo

Amanda Ferracino disse...

A ideia é boa... só não sei se no meu caso daria certo. Já tentei tantas vezes controlar as situações da minha vida, que hoje eu estou pensando em chutar o balde e deixar que tudo acontece como Deus quer(ou pelo menos pensar menos).Quem sabe assim eu seja feliz...
Gostaria de completar dizendo que eu adoro reticências... Acho que dar um gostinho de "quero mais". Rs!!!

Maya disse...

Amanda,

É o que eu disse, há momentos que temos que puxar o freio e outros que temos que deixar tudo correr à solta.

Enfia as esporas e vá ser feliz
(tá..a frase foi horrível..)

Também adoro reticências...dizem tudo que não precisa ser gasto com palavras!

beijo

obs.: A senhorita trate de passar mais por aqui, hein?!

Geisa disse...

Dai,
Que honra que é surpreender um futuro gênio com um presente que ele considera ter sido escrito por um gênio! Se regar a semente, você vai tocar o terror!!
Bjos

Maya disse...

Geisa,

Eu ia dizer que vc não sabe a cara de pudim que eu fiz, mas você sabe! rs

Ai ai, o Ezra tinha algo que eu terei que suar sangue pra conseguir: disciplina!

Mas mesmo assim, obrigada pelo elogio!

beijooo

Luna Sanchez disse...

Moça, gostei muito desse texto, sabe? Tão sincero, leve, bom de ler...

Eu também uso muitas vírgulas, mas gosto do ponto final : é importante saber usá-lo, sempre. ;)

Boa sorte com as rédeas, os cavalos, o cabresto.

Rs

Beijo.

ℓυηα

Maya disse...

Luna,

Esse foi muito sincero sim, até assinei.

Eu sei como é importante usá-lo, mas ainda reluto em usar. Colocao vírgulas ou prolongo com reticências...

Um erro.

Preciso de sorte mesmo! rs

bjo

Dai