segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A vida e o pisca-alerta

A vida é como o trânsito. Existem regras para o bom funcionamento, regras para que tudo flua tranquilamente, sem engarrafamentos, sem acidentes.

Às vezes, as regras são estúpidas. A sinalização não é clara. Daí você pode simplesmente fazer o que quer e correr o risco de ser multado ou cair numa ladeira e entender o porquê da placa “proibido seguir em frente”.

Mas a metáfora vida/trânsito não é perfeita. Não existe na vida nenhum dispositivo de “pisca-alerta”. Já perceberam como o pisca-alerta valida quase tudo?  Você pára onde não pode – liga o pisca-alerta. Você quer andar a 10 km/h, se ligar o pisca-alerta, as pessoas vão achar que está tendo problemas e dificilmente vão buzinar e xingar, apesar de se irritarem muito. Se seu carro resolver fazer birra e parar no meio da Avenida Paulista em São Paulo, a maioria das pessoas irá te perdoar e algumas ficarão até com vergonha  por você.

A vida não é assim. Você não pode jogar tudo para o alto e ligar o pisca-alerta. Se alguma coisa não está indo bem não tem como você ligar o seu pisca-alerta e esperar até saber exatamente o que fazer. Não pode. E outra, quando você não está bem dificilmente poderá sinalizar isso. O jeito é seguir em frente mesmo com os pneus murchos e o motor pifando.

A vida podia ter seu pisca-alerta. Todo mundo deveria ter seu momento "café com leite": "Deixa ele, ele tá com problemas, não vê que o pisca-alerta está ligado?"



10 comentários:

Luna Sanchez disse...

Eu conheço gente que se vale disso o tempo todo, liga o pisca (entenda-se : faz chantagem emocional, cara de coitadinho...) e acha que a vida é isso, fazer mimimi.

Tem multa prevista pra quem usa esse recurso sem necessidade real?

Adorei o texto, Dai, embora eu tenha SÓ 11 pontos na habilitação.

:p

Um beijo.

Rafael Castellar das Neves disse...

Boa...gostei disso....e concordo...as pessoas insistem em buzinar, xingar e pressionar quando o pisca-alerta está ligado...

[]s

Artur César disse...

Se não houvesse uma saída de emergência seria necessário criar uma, pra qualquer situação que fosse!

fazendo alusão a Voltaire

Jeferson Cardoso disse...

Daí, a metáfora é válida e um pisca alerta na testa não é de todo uma má idéia [sorrio]. Abraço do blogueiro amigo!

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Convido-te para que leia e comente no http://jefhcardoso.blogspot.com

Jeferson Cardoso disse...

Dai, você é linda! Obrigado pela atenção e carinho em meu blog! Beijo!

Frau Forster disse...

Amei, Dai! E concordo plenamente: não dá pra parar tudo até saber o que fazer, a gente tem que seguir e tocar o barco, aprendendo conforme vive mesmo. Vejo sempre pelos meus fins de namoro, pra voltar àquele assunto: nunca deixei de cumprir com minhas obrigações profissionais por causa de coração partido. A vida continua sempre e cabe a nós a encararmos assimm ;)
Mil beijos

Retrato em Branco e Preto disse...

Na verdade, esse negócio de ser café com leite é bem chato. É um "quase" participar da brincadeira. Imagina que perda de tempo! Mas existem questões e questões, não é verdade?

Um beijo!

M.M. disse...

Dai,

Estou numa fase extremamente musical - tá, sempre estou, mas essa tá mais forte - e, ao te ler, me lembrei de "I knew all the rules, but the rules did not know me Guaranteed.", música que eu amo!

Sobre pisca alerta: sim, uma folguinha de vez em quando, como estar de "altas" no jogo da vida, pode sim ser bom e até bem vindo. O problema, que eu acho, é que as pessoas abusam e vão viver em constante luzinha piscante, vivendo de autocomiseração. E, com isso, preciso confessar, não sei lidar bem...

Um beijo

MeninaMisteriosa

Luna Sanchez disse...

Quero post novo, tô com saudades de te ler.

Te vira, guria, dá um jeito.

¬¬

(Rs...Beijos!)

renatocinema disse...

o ser "humano" troca a quantidade pela qualidade.......grande erro.

Recomendo Fernão Capelo Gaivota para eles.