segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Caixa de Saída [1]

Amor,

Tenho algumas dúvidas, sabe? Não que não acredite que não possa ser feliz com você ou que duvide de nós, não. Se há alguém em quem eu acredito que um relacionamento conjugal possa dar certo, esse alguém é você. O que eu desconfio é da instituição, da definição. Do amor-acordado que estabelece as obrigações de ambas as partes independentes do que as partes pensem. Não acredito em necessidades pré-estabelecidas. Eu não preciso daquela cama king-size, sabia? Eu fico muito feliz com aquele sofá-cama estampado que sua avó te deu. Quem casa quer casa, mas nem caso e tampouco quero casa. Quero ser leal. E a lealdade está acima da felicidade, tanto minha quanto tua. Veja, eu até acho bonito quando vejo aquelas crianças em seus carrinhos alugados no shopping, mas eu não queria nem o shopping nem o carrinho alugado. O que essas vitrines têm a ver com crianças, meu amor? Nada, a não ser com a Maísa, mas acho que ela não vale.

Tenho idade pra casar, é o que todos dizem. E Deus sabe que não faço coro com Nelson Rodrigues quando ele diz que toda unânimidade é burra, não, acredito mesmo que deve ser uma espécie de sabedoria popular e que essa deve ser a idade na qual meus ossos e meus neurônios devem se adaptar melhor ao ritual sagrado que é o casamento, a rotina linda. Um compartilhamento, doação, não é isso? Claro que mulher faz um pouquinho a mais e trabalha fora, cuida das crianças, faz janta mesmo quando não tem fome, ora, são assim que as coisas são mesmo, acho justo inclusive, fomos nós, as mulheres, que demos a Adão o fruto proibido. E só foi quando pensei nisso, meu amor, que pude entender a maravilhosa lógica da igreja em não permitir relações homossexuais, afinal, como seriam distribuídas as tarefas diárias? É sempre para nos preservar, sempre.

E não acho que a rotina seja uma coisa ruim, de forma alguma. Quantas vezes vejo o desafio que é inventar pratos novos e saborosos usando a mesma batata e carne moída que seu pai compra toda vez? É claro que quando você sugere - porque EU sei que não são críticas - que sua mãe faça outra coisa porque você não comerá novamente esse gororoba que parece comida do cachorro (não a do seu, evidentemente, que ele só come carne picadinha misturada na ração), você está sendo magnânimo dando a ela a oportunidade de melhorar.

Sabe, e eu gosto tanto, mas tanto, da sua individualidade. Você não deixa de ser quem você é só porque estamos noivos, não, sai todos os fins de semana com seus amigos, fica até tarde no sábado dando a eles toda a atenção e como eu sou sortuda quando, no domingo, você fica até as 15h30 lá em casa (e tem que sair correndo para ver o jogo das 16h, mesmo assim, mesmo tendo que correr para ver o jogo, você nunca abriu mão de ficar comigo) e me manda um SMS dizendo que me ama, mesmo cansado depois do pagode do domingo à noite. Claro, você diz que não é para eu sair com as minhas amigas (as que eu tinha, porque elas sumiram um pouco) mas é sempre pensando em mim, porque o mundo está violento: “assiste o Datena pra você ver” é o que você me diz. E por dentro meu coração saltita por ter alguém que cuida assim de mim.

E é por pensar em tudo isso, de ver o quanto você é uma pessoa generosa, que eu não posso aceitar seu pedido de casamento: você é muito mais do que sonhei, você é bom demais pra mim.

Com amor,

Seu Cheirinho 

11 comentários:

disse...

hahahaha sem comentários, adorei! rs
bjooo

Luis Felipe Pinheiro @gimnosperm disse...

Afiada.

Eu ri.

É. Definitivamente vc não é pra casar.

Nem queira.

Espera os outros quererem.

Bjos =]

Nara disse...

Huahsuahushaus


Na-ca-ra!

Geisa disse...

AHAHAHAHAHAHA!!!!
MORRI!
RSRSRS
ADOREI!
OBRIGADA BJOS

Raquel de Carvalho disse...

Boa desculpa essa: "você é bom demais pra mim"!!!!

kkkkkkkkkkkk

É o que eles dizem qndo querem terminar algo...É d+ mesmo...
ehehehe

Adorei!
Beijos

Ivan disse...

Puta que pariuuuuuu!!!!

Eu adoro texto assim! Se a minha emoção viaja, se o ritmo do coração muda enquanto leio, esse texto é para apaixonar.

Demais, Boca! Demais.

Beijinhos, minha flor.

Ivan.

Ana B. disse...

"vc é bom demais pra mim" só não é mais clássico q "n é vc, sou eu"

uehehehe


beijo

Alline disse...

Opa, o discurso não foi trocado? Justamente por isso ficou uma delícia.


Beeeeeeijo

Por que você faz poema? disse...

Às vezes para ser feliz
é preciso dizer "não".

Carolina disse...

Texto perfeito, sutil, irônico e inteligente. Amei. Bjinho!

so sad disse...

essa foi a recusa mais legal de todos os tempos!
beijo!