terça-feira, 3 de maio de 2011

No salão de beleza

Ana trabalhava como manicure há 7 anos. Essa profissão veio por herança e ela não pensou muito a respeito. Não ganhava muito, mas pelo que ouvia, ganhava mais que muitas pessoas formadas por aí e ela tinha terminado apenas o Ensino Fundamental.

Ana atendia muitas senhorinhas, como as chamava, mulheres que já haviam passado dos 70 há tempos. Cúticula fina, diabetes, cores vermelhas e cintilantes (Amor perolado ou Maça do Amor) ou clarinho (Zazá e Baila Comigo), e não adiantava ela explicar que o alguns já tinham saído de linha porque elas não acreditavam, então ela passava alguma coisa parecida e pronto. O que as senhorinhas queriam na verdade era conversar e, de quebra, fazer as unhas.

Dona Lia era uma senhora bonita em seus 76 anos de idade. Passava a cor acaju nos cabelos, e o esforço em dizer que era muito vermelho para ela era inútil. Ela era viúva – coisa que não cansava de agradecer – e tinha 3 filhos, dois homens e uma mulher, e alguns netos. Um neto, segundo ela, era um gênio e estava na faculdade de medicina agora, a despeito de ter sofrido bullyng na escola.

Marcar hora era sempre uma dificuldade, Ana tinha que berrar todas as vezes o horário que tinha marcado para Dona Lia, mas como ela era uma senhorinha doce, Ana não se irritava com a surdez. Chegava o horário Dona Lia entrava no salão cheirando a talco e se sentava na mesinha e disparava a falar:

- Sabe minha filha, quase deixei queimar o arroz agora, meu filho que me alertou que estava cheirando a queimado. Essas panelas novas não prestam, são muito fininhas, queimam tudo. E sabe? Eu não sinto muito cheiro. Meu nariz não é bom. É a idade, sabe? Apesar que eu nunca fui muito boa com cheiros e tudo. Agora, ouvir eu ouço bem, mas cheiro – muito difícil.

- A senhora ouve muito bem?

 - Que você falou, minha filha?

- A SENHORA OUVE BEM?

- Vou passar o de sempre, o roxinho. Então, como eu estava dizendo. Ouvir eu sempre ouvi muito bem, agora o nariz, não presta.

9 comentários:

Lucão disse...

haiuhaiuhaiuahiuahiauh
as senhorinhas... dão cada história.
Ótimo, doce!
:)

cont...

Alline disse...

As senhorinhas são histórias ambulantes. =)

Adorei, Dai!

Beijuuuuu

End Fernandes disse...

kkk

fantástico =]

muito bom!

Bjuuus

End Fernandes

Elaine disse...

rsrsrsrs... Essa foi muito boa!

Carolina disse...

Ai, que delícia... adoro vovós!!
:)

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Muito bom. Eu estou indo pelo mesmo caminho, cada vez mais com menos audição.

Abraços Imundos.

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, pelo jeito, a resposta é nem um pouco bem...

Fique com Deus, menina Maya.
Um abraço.

Por que você faz poema? disse...

Abrindo sempre o baú,
tirando o pó
dos alfarrábios.

Camila disse...

Ha gostei demais (kk)