segunda-feira, 22 de março de 2010

Saia da moita.

O tema da semana é Indecisão, não não é lá no Céu, que lá a gente fala sobre a Nova [antiga] Astrologia, mas os blogs que visitei, sobretudo hoje, falam, de uma maneira ou de outra, sobre 'decida-se', 'escolha', 'sai da frente que lá vem gente' e eu também quero gritar aos quatro ventos: PARA DE FRESCURA (aliás, preferia com acento, eita reforminha lazarenta...).

Tem gente que demora meia hora para decidir com que lado da faca passará a margarina no pão. Logicamente, depois de ter passado uma ou duas horas pensando se passaria margarina mesmo ou requeijão, manteiga, colocado presunto e queijo... Me diz, meu Deus, pra quê?

Eu sou uma pessoa decidida, muitas vezes, erroneamente decidida, mas em cima do muro não fico, ou me esborracho de um lago ou caio do outro, não há saída.

Dia 21, a Erica Ferro postou uma carta super bonita. E nela ela se dirige a alguém questionando até quando a pessoa não vai se decidir sob o pretexto, quem sabe, de ter medo de a ferir.


E as vezes é até um medo genuíno, as vezes a pessoa tem mesmo medo de ferir a outra, mas por acaso, ela deixando de decidir não fere da mesma forma? De uma forma diferente, sim, mas como dimensionar qual dor é mais doída? Complicado isso.

Por isso é que eu gosto das cartas na mesa, cada um sabe o que o outro tem e decide-se sobre qual próximo a tomar.


Então por favor, ou 'activia' ou sai da moita, por favor.

                                                         Fonte: Aqui.

11 comentários:

Marcelo Mayer disse...

passo por isso todo dia. devo ser um blogueiro bem odiado, já passei por ataques enormes! mas só digo uma coisa: foda-se
e faço outra: rir da imbecilidade dos outros

Nara disse...

Ah Dai.
Decidir não é comigo. Sou geminiana, passo horas tentando decidir algo. Sou pessima! Admito. Um dos meus piores defeitos.

... Talvez um dia eu aprenda

Beijo,
Nara

Alline disse...

Ai, meu Deus, meu caso não é mais grave? Eu decido rápido demais, meio sem pesar as consequências. Ah, o impulso... esse ainda me acaba. rs

Beeeeeeijo

Erica Ferro disse...

Oh, sério que tu me citaste nesse teu post? Sério, fiquei surpresa, rs.

É, cara... É preciso se decidir, ficar em cima do muro, sem saber se pula ou não, é o sofrimento tanto pra quem vê como pro próprio indeciso.
Vou confessar: eu sou muito indecisa, mas acho que tenho trabalhado bem esse meu lado e obtido progressos até relevantes.
'Quem não arrisca, não petisca'.
Ou vai ou vai, né não?

Bem, eu fiquei muito feliz com sua visita, com suas palavras, enfim...
Gosto muito do Céu e também seguirei aqui; me simpatizei com tuas palavras, com teu jeitinho, hehe.

Um abraço!

Atreyu disse...

Fatão!!! Quando isso acontece cansa né! ¬¬³

disse...

prefito ser impulsiva... e não costumo me arrepender.

Odeio: se, talvez, quem sabe...

Ivan disse...

Boca,

É nóis, né? Somos cheios decisão, falamos dos indecisos, daqueles que ruminam, que pensam e repensam, dizemos 'blá' pros frouxos, e 'pá' pra decidir que é isso e pronto. Eu e você somos foda, né? :)

Beijinhos.

Ivan.

Luna Sanchez disse...

E quando a gente decide e a decisão fere o outro, que, por estar ferido, decepcionado, triste, não entende nossa decisão como decisão, e sim como indecisão? Sim, isso acontece.

Em geral, não se quer "APENAS" que o outro decida, mas que decida a nosso favor. Se não for assim, ele não é decidido (mesmo que tenha decidido), é vacilão, medroso e bobo.

Tudo bem, ninguém me disse, mesmo, que crescer seria fácil e indolor. Tá valendo.

* A Erica é maravilhosa, adoro, sou fã! =)

Beijo, beijo.

ℓυηα

[P] disse...

Muito apropriado o teu texto neste momento da minha vida: tomei uma decisão recentemente, algo que por várias vezes adiei... só estou esperando o momento certo para pôr em prática.

Beijos.

Lucão disse...

heheheh estou contigo e nao abro, Dai.
Mas não tem jeito de não rir com o seu texto. "activia" ou sai da moita? hehehe
ótimo!

Daniel Savio disse...

Devo dizer que demoro a decidir, mas quando tomo a decisão, não a força que me faça voltar a atrás...

Fique com Deus, menina Maya / Dai.
Um abraço.