sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O cara do número 07


Shopping lotado. Fiz meu pedido e aguardei. Meu pedido era o número 11. Anotei mentalmente: sou o número 11.

Impaciente. Vejo a mocinha com gorro monocromático andar de um lado a outro preparando os pratos. Aperta um botão e no painel aparece: 07.

Fiquei esperando enquanto a luz piscava intermitente, 07..07..07. Ele não vinha. Não podia, é certo, chamar a isso de mistério.

Não.

Conan Doyle não me perdoaria.

No entanto, o caso era curioso.

Onde está o número 07? Talvez caído em algum beco. No fundo de uma loja. Os pedaços cortados e separados em caixas de sapato tamanho especial.

Não.

Exagero.

Nem Tarantino pensaria em tanto sangue.

Ele não veio.

O prato esfriava em cima do balcão.

Não tive curiosidade em ver o pedido. Seria muito mórbido de minha parte ter apetite pelo prato do talvez falecido.

Me contive.

A mocinha do gorro monocromático não se importava. O prato esfriava. Será que ele esqueceu? Talvez, apressado e distraído, tenha feito pedido em outro lugar. Talvez tenha desistido.

Talvez esteja morto mesmo sentado em alguma mesa e ninguém notou. Certamente alguns adolescentes ririam do homem supostamente dormindo na mesa ao lado e seriam percorridos por um sentimento de predestinação quando assistissem o jornal do dia seguinte noticiando o encontro do corpo. Sussuriam para si mesmos: eu como um cheese burger do lado de um morto.

Fosse quem fosse o número 07, sem dúvida era homem. Meia idade. Coisa de feeling: eu sabia que era.

No painel aparece o número 11. Vou. Como e o número 07 não aparece. Saio pensando o que a mulher do gorro monocromático diria se eu voltasse no outro dia e perguntasse sobre o número 07.

- Número 07? Nunca existiu número 07.

5 comentários:

Songa disse...

Impressionante! Isso aconteceu há 5 dias! Tu pediu duas fatias gigantes (01 de Lombinho e 01 de Strogonoff), não aguentou comer toda a segunda fatia... e ainda não conseguiu tirar da cabeça o pedaço que o coitado não foi buscar? Tem algum pecado capital que fala sobre isso, eu acho. rsrsrs

Dai disse...

hahaha...não é gula, se não teria comido os dois pedaços e comido o do número 07 - que Deus o tenha

=P

Avoada disse...

Como gordinha tensa que sou, entendo totalmente como é intrigante alguém pedir comida e deixar isso pra lá. Isso é que é pecado! Hahaha!

Carolina disse...

Eu acho que era uma gordinha, que tá tentando fazer dieta e esteve prestes a ter uma recaída. Aí ela pediu, se olhou no espelho (não sei pra quê existem tantos espelhos em praças de alimentação, deve ser pra gente querer se matar mesmo) e desitiu. Ela siu correndo, foi pra casa quase chorando. Ficou triste. Abriu a geladeira, viu que tinha uma lasanha e devorou congelada mesmo.

Mirella de Oliveira disse...

Oxa, coisa de louco!

E onde diabos se meteu esse 07??

hahaha

Conta aê, Dai... algum sinal do dito cujo?

:)