sexta-feira, 8 de abril de 2011

Nostalgia

Rebolava de um lado a outro, enquanto picava as folhinhas de manjericão. A taça de vinho tinto em cima de alguns pratos que tinha separado.

O cabelo preso com uma caneta que tinha pego em cima da mesinha do telefone. Um mecha fugidia escorria pela nuca e para em cima da rendinha da blusa branca. Sem shorts, a calcinha de algodão verde claro ficava à mostra.

Ouvia Sexual Healing, do Marvin Gaye.


Essa música era de uma lascividade que despertava o apetite. Descansou a faca sobre a tábua e foi pegar o azeite que tinha comprado e esquecido na mesa da sala.
Olhou as fotos penduradas pela sala. Tanta gente, tantos momentos, tantos gostos reunidos.

- Se eu ficar perdendo tempo aqui não vai dar tempo.

Voltou para a cozinha e foi ver o assado no forno. Pegou um pouco de alecrim e espalhou pelo molho. Adorava cozinhar.

A panela pegou pressão ao mesmo tempo que What's Going On começava a tocar.



No meio da cozinha, dançava levando levemente a barra da blusa. Levantava  os braços e depois descia passando a mão pela própria silhueta. Mexia os ombros, descia e subia as mãos deslizando suave sobre o colo.

Aproveitou a mudança de música pra voltar a picar as coisas. Pegou o vidro de azeitonas sem caroço. Comeu uma.

A campainha toca. Ela corre para atender. Olha pelo olho mágico da porta. Era ele. Abre.

- Vim mais cedo.

Na cozinha começa a tocar Let's Get It On.

8 comentários:

CARLA STOPA disse...

Adorei tudo...

Karina disse...

Adorei. Levíssimo.

Fiquei com vontade de comer uma azeitona também! :)

Carolina disse...

Nossa, que delícia, Dai!

Deu até vontade de "cozinhar" esse fim-de-semana... rsrs

:)

Alline disse...

A noite deve ter sido deliciosa... Ainda mais com Marvin Gaye, que eu adoro em todas as horas.

Beeeeeeeijo, Dai!

Luna Sanchez disse...

Alguém disse que a vida sem música seria um erro, né? Quem foi?

* Também adoro cozinhar e me perder na mistura de cheiros e cores dos temperos.

Um beijo, Dai.

Daniel Savio disse...

Engraçado quando alguns momentos acabam sendo marcados com música, ou simplesmente o acaso seleciona uma música que traduz tudo que estamos sentindo...

Fique com Deus, menina Daya.
Um abraço.

Leo disse...

Uau, adoro Marvin Gaye!

sobrou uma azeitona?

Um beijo.

Insolente disse...

Delícia. Nada como uma noite suave dessa, cheia de detalhes e intervenções musicais.