quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Não!

Não, não sou Amélia. Não sou Hebe, não sou Gretchen, nem Glória Kalil, nem Victória Beckham. Não, não sou nenhuma outra, nem sombra de ninguém. Sou eco de muitas vozes femininas  (e masculinas também), mas o eco ilusoriamente reproduz, ele sempre ecoa de novo o novo de novo.

Não sou fruta alguma, dispenso melancias, peras e maças, já não sou a mulher objeto, sou a mulher sujeito que tem flexibilidade o bastante para mudar, não só a oração, mas a reza, a liturgia, o conto e o vigário.  Estou pronta a ser núcleo, complemento e até passiva - agente da passiva, claro.

Não, não gosto de mimimis. Não gosto de barganha. Não gosto de usar o decote como argumento. Gosto menos ainda de usar o choro como argumento. O melhor de mim encontra-se do pescoço pra cima (graças!!!), e, exatamente por isso, gosto de dar ao melhor de mim um bom suporte. Não sou conivente com o desleixo.

Não suporto homens fracos, molengas, descuidados, falastrões, canastrões. Não, não me faz falta. Não preciso de ninguém pra me completar: estou cheia até a tampa. Quero alguém que me transborde, isso sim. Mulheres rasas, carentes³²²³ e à espera de príncipes me irritam, mas torço para que encontrem, cada uma tem o tédio que merece.

As pessoas mudam. Eu mudo, tu mudas, e se regadas, florescemos. Mudanças não devem ser feitas por medo de perder ou insegurança, mudanças devem ser feitas por causa da mudança de clima, só.
Não, não serei reconhecida pelo que levei os outros a fazerem, nem pelo que fui levada a fazer por causa dos outros. Quero ser reconhecida pelo que fiz - apesar de.

Texto publicado em 22 de setembro no blog Meninas Improváveis, aqui.

14 comentários:

Atitude: substantivo feminino. disse...

"Eu mudo, tu mudas, e se regadas, florescemos"

Demais isso!

Lαís Pαmelα :) disse...

E sabe que eu também quero alguém me faz transbordar?
beijos.
Seu texto é de fato muito muito muito bom mesmo.
:D

Seu blog é lindo *-*

Única e Exclusiva disse...

Desejo de muitas e realização de poucas. Ter esta consciência de ser e querer é formidável. Leitura indispensável.

Bjs ú&e =**

Laninha disse...

E o sabor de ser reconhecida é melhor do que de "qualquer fruta", né?!
Abraço.

Carolina disse...

Assino embaixo.

;)

Orianna R. Alves disse...

Boa tarde!
Parabéns pelo texto, ele é excelente.
Encaminhei a todos os meus contatos.
Gostaria de pedir permissão para postá-lo no meu blog, na página que tenho de outros autores. Claro com os devidos créditos a ti.
Bjus.

Frau Forster disse...

UAU!
Que fôlego! Gostei muito de toda essa energia e intensidade.
E assino embaixo de tudo o que você disse ;)
Um beijo,
Frau Forster

Lucão disse...

Já tinha lido, mas devo dizer que isso de "Não preciso de ninguém pra me completar: estou cheia até a tampa. Quero alguém que me transborde..." é mto bom.
:)

Déia disse...

Uau amiga!!

Se todas as mulheres fossem assim!!! Os homens bostas estariam perdidos!
bj

MOISÉS POETA disse...

Que Maravilha !

Acho Que a Sua Maior Habilidade
é Ser Voce Mesma .

Adorei !

Um Beijo !

Alline disse...

Dai, tu escreves e eu me encanto. Texto bom de ler é assim: vai num fôlego só e deixa a gente com cara feliz depois. Ótimo! =DDD

Beeeeeeeijo e um lindo fim de semana pra ti!

m. disse...

Gostei bastante do texto. Um NÃO gigante pra essas modinhas cada vez mais constantes, pra essa futilidade, superficialidade e vulgaridade cada vez mais toleradas e, o pior, até adoradas por alguns.
Enfim, gostei e me deu vontade de escrever sobre o tema também.
Beijos!

Eraldo Paulino disse...

Há coragem neste post.

Parabéns!

Bjs!

Daniel Savio disse...

Então porque acabamos fazendo desta mudança um parto?

Ou pelo menos as susposta dor de um parto.

Hah, eu diria que isto é responsabilidade pelo teu legado, de ter responsabilidade de que veio de ti, da tua essência...

Fique com Deus, menina Maya.
Um abraço.