quinta-feira, 22 de julho de 2010

De Blog em Blog - Seguir

 A ovelha que baliu ou Eu sou uma ovelha e meu nome é Sucks
Tem gente que gosta de seguir, segue normas, regras, tendências, placas, a/o mulher/homem que corneia, blogs e twitts. Tem gente que segue e ponto. Tem gente que é UM SEGUIDOR (qualquer semelhança com alguma propaganda é mero acaso).

Veja bem, não acho que ser um seguidor seja um problema, afinal, não é qualquer reles mortal que será O seguido. Eu, por exemplo, sou seguidora, também. O patamar de Seguido é para alguns poucos que não seguem a trilha, mas abrem a trilha em meio a mata fechada da ignorância e previsibilidade. Seguidos é uma espécie que se camufla muito bem e é apenas com atenção que você o distingue. Quero dizer, às vezes. Porque você não precisa de maior atenção para distingui-lo entre uma espécie detestável: os seguidores-ovelha.

Os seguidores-ovelha são facilmente detectados, é só perguntar a eles algo sobre política que usarão como pausa de frase a expressão “a culpa é do capitalismo selvagem”, talvez com algumas pequenas variações como: “a culpa é do imperialismo selvagem” e, dependendo da região, terminarão com “a culpa é do capitalismo selvagem de méérrrda”, ou “a culpa é do capitalismo selvagem, daí”, ou “a culpa é do capitalismo selvagem, porra” e por aí vai.

Uma distição entre essa espécie é o gosto musical, eles se dividem em três grupos igualmente chatos que não aceitam influência [musical] de outro grupo. As três distinções são:

  - Seguidor-ovelha: ouço Belchior; 
 - Seguidor-ovelha: ouço Belo (e vez em quando eles pintam a lãzinha do topo da cabeça para se identificarem mais com o estilo ‘musical’);
 - Seguidor-ovelha: ouço sertenejo-universitário.

O nocividade destes três grupos é que eles não aceitam outro estilo de música, considerando uma ovelha desgarrada quem ouça outra coisa.

Os seguidores-ovelha sempre existiram, dizem que foi fundado por Adão quando comeu a fruta e disse todo afetado: a culpa é dessa Eva que o Senhor me deu, incompetente!

Mas agora a coisa tem se agravado, se não bastasse eles se reunirem em rituais fechados, cantando respectivamente: "Como nossos pais", "Reinventar" e "Chora, me liga", agora eles criam blogs. A parte boa é que eles dificilmente falam de músicas, política e qualquer coisa assim, na verdade, eles não dão muito a opinião sobre nada, quer dizer, falam sobre tudo mas não dão opinião sobre quase nada. Quando criam blog eles se reúnem novamente sob o bloco único “Seguidores-ovelha” e adotam o mesmo cunho para textos: o autoajuda – eu.sofro.mas.te.ajudo.

São textos que contam bastante sobre a vida 'particular' deles, como eles andam sofrendo com o descaso da pessoa amada, como a confiança deles foi traída por alguém amado ou como eles têm confiança em ainda encontrar a pessoa amada (e detalhe, acreditam em príncipe/princesa). Às vezes se arriscam em certos amontoado de versos a que denominam poesia, você facilmente reconhece pela recorrência de rimas com –ar e –er.

A situação só não virou calamidade pública porque são bichos inofensivos. Dado a previsibilidade característica, já foram mapeados os comportamentos e possíveis formas de abordagens. Um método simples de identificar é que esses seguidores-ovelha não leem textos com mais de 15 linhas. Outra forma para se prevenir desses seres é criar um e-mail e passar para a pessoa, se ela lotar sua caixa de e-mails com títulos similares a: "Para começar bem seu dia", "Assista e veja a vida bela", "Olhe as estrelas e agradeça"..., cuidado, você acabou de ser abordada por um seguidor-ovelha.


Com sorte (ou não) você talvez leia sobre o tema nestes blogs:
Abra o Bico
Geny Fiorella
Quero ser vermelho!!
No Lipstick
Brunacelia.com
Pensamentos diretos
Lugar de Maria
Carolina Motta - Marketing & Design
Vou de Scarpin

16 comentários:

Ana B. disse...

uahahahaha
mto bom...

principalmente a parte do Adão! kkkk

Geisa disse...

É, Dai, seguido ou seguidor, é capaz que haja muita ovelha em pele de lobo espalhada por aí, rs. Bem, não sei, mas pode ser que esse tipo seja bem pior...
Bjocas

Nara disse...

Daaaaaaaaaaai, que fúria dentro desse coraçãozinho! huahsauhsuahsuas

Oh, não gosto dessa gente. u.ú
E sabe, esse texto fez com que eu me lembre de um certo cara que nós conhecemos. Um certo clichê ambulante.

Lembra?

rsrs

Beijo,
Nara

Dai disse...

Nara,

Lembrei de dois, um que nem faz desse tipo de 'seguidores-ovelha', porque integra o grupo dos 'leitores-banca-examinadora'.

umnojo#

E outro, que esse sim, seguidor-ovelha, mas ele eu tenho mais vontade de conduzir pela mãe qe tosquear...rs

beijos

Ana Kazan disse...

D[a medo mesmo, muitas vezes, seguir sua pr[opria cabeça. Quer gostemos ou não, somos filhotes sociais, somos o que somos porque aprendemos a ser assim, e ser um "eu mesmo" diferente dá medo de rejeição, de loucura, de tontice. De onde o LOUCAS SA Clube de Suporte e Incentivo. Sei que o blog não pegou, mas o suporte continua aqui.
Cheers ao ser seu mesma.
Bjs,
Ana K.

disse...

Mé-é-é-é-é-é-é-é-é-é-é-é-é-é-é

Lucão disse...

hehehehe
tão ácido que se botar a mao na tela corrói.
rs

"Criatividade escorregadia"
Eu não tenho mto o que dizer.
Talvez agradecer, sim rs
Me diverti e está totalmente afim, mas já sabes.
beijo doce, doce.

Eraldo Paulino disse...

Rá!

Infelizmente, concordo com Ruben Alves, o povo é formado na grande maioria por um imenso aprisco de ovelinhas idiotas que dizem "amé-é-é-é-é-é-é-ém!

Bjs!

Raquel de Carvalho disse...

Uhuuu!
Gostei de ver. E sigo essa sua opinião!
:) ehehehehe (:

Beijooos

Luna Sanchez disse...

Também tem as ovelhinhas que aprendem umas frases de impacto novas, descobrem que elas têm várias aplicações e conseguem se disfarçar bem com elas...tem de tuuuuuudo nesse mundo, essa é a verdade.

Ainda bem que também tem opção, né?

\o/

Beijo, beijo.

ℓυηα

Ivan disse...

O que é legal, entre outras coisas do texto, é que a figurinha citada jamais vai ler e muito menos entender a mensagem.. .rssss

Ô guria arrepiante essa Dai! Haha

Beijos, boquinha.

Ivan.

MOISÉS POETA disse...

eu adorei esse seu texto . principalmente suas alfinetadas em certos blogueiros. existem pessoas que criam blogs e passam o tempo todo achando que a vida se resume apenas em seus problemas sentimentais. deixando de lado questões mais importantes a serem analisadas.

prazer imenso passar por aqui!

um grande beijo!

Escritores de araque. disse...

Excelente texto, acho a crítica pertinente, dose certa de acidez sem perder o poder do adocicado!
Obrigada por ter feito nos visitado! Bem, te seguirei, mas sem a intenção de virar uma ovelha! haha
Beijos! =*

Ps: Eu não sei o número certo de surtos para ser considerado normal, mas eu acho que o faço com uma frequência que me dá o direito de ser considerada paranóica! hahaha

Escritores de araque. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Emerson disse...

Dai, ESCOLHA O TEMA DO DE BLOG EM BLOG PARA ESSA SEMANA, DIA 29/07..... E ME PASSE PARA QUE EU DIVULGUE!!! BJ

eMERSON REINERT

PENSAMENTOSDIRETOS

Luis Felipe Pinheiro @gimnosperm disse...

Sinceramente, é uma merda mesmo.

Mas pensando pelo lado bom das coisas, pense que sem eles, não haveria forma de diferenciar as pessoas
Faz parte da nossa identidade, nós não-ovelhas.
Olhar pra esse tipo de gente e falar: "WOW! eu não sou igual!" é a melhor forma de descobrirmos o que realmente somos.

E pelo menos eles estão escrevendo, não fumando pedra.

xD

(acho q to um pouco otimista, falaê? xD Acontece.)